Ziraldo e a Família Mancini

Sou fã do Ziraldo, dos livros e do seu desenho.

(apesar de não concordar com algumas de suas opiniões. Não e vou defendê-lo ou desculpa-lo aqui).

Inspirei muito do meu traço mais solto no dele e no do Millor. O primeiro livro que li sozinha e inteiro foi “O planeta Lilás“, andava por entre as pernas de pessoas que liam “O Pasquim”. Em 81 corria para ler a Veja (sic!) da minha avó, durante todo aquele ano, Ziraldo ilustrou uma série de anúncios para a Arno.

Então, aos 12 anos viajei com meus pais para São Paulo onde, numa noite, jantamos na Famiglia Mancini. Não sei se foi porque estava cheio, ou porque a comida demorou. Eu comecei a desenhar no guardanapo. Desenhei o restaurante. Ao final conseguimos jantar e lembro vagamente de mostrar o desenho a algumas pessoas e o garçon acabou por ficar com meu desenho.

Tempos depois, já de volta a nossa cidade, recebemos pelo correio um cartão do restaurante para um tal de “Fernando Lobato”. O cartão era ilustrado pelo Ziraldo.

Ao longo dos anos continuei recebendo os cartões de Ano Novo e Aniversário, que decoravam as paredes do meu quarto. Infelizmente, numa das limpezas a faxineira grudou todos os cartões juntos e perdi boa parte da coleção.

Mas não toda. Essa semana escaneei alguns e deixo arquivo aqui(arquivo.zip 7.8Mb) para os que, como eu, são apaixonados por ilustração.

Um dos cartões - A familia reunida vestida de super-heróis

Pretendo um dia voltar ao restaurante e me apresentar como o “Fernando Lobato”, só por brincadeira.