O desconhecido Tognazzini

Em 2004 defendi meu trabalho de mestrado na UFRGS. Demorei quase quatro anos para terminar o trabalho. Decidi que não faria doutorado se não fosse para me dedicar integralmente e se o assunto não fosse para mim o equivalente a descobrir a cura do câncer.

Demorou um tempo, mas em 2015 lá estava eu fazendo a seleção para doutorado. Estive fora da área de design e fiquei espantada com a sopa de letrinhas que encontrei UX, IXD, UI, AI, IA, CDU, CDH, HDC…sem falar em design thinking, service design, Data-Informed Design, Data-Driven Design.

E que vitrinismo agora era disciplina.

Não que eu tivesse mudado de campo ou me mudado para Marte. Mas eu trabalhava com o acessibilidade, gestão de normas e padrões, como gerente de projetos e depois coordenadora geral…numa área de TI, no Governo Federal. Acredito que nunca larguei o design, mas eu lia um pouco sobre cada uma dessas novas áreas, os artigos do pessoal mais “enfronhado” no assunto e pensava: “- Ok, mas eu já faço isso”.

Então, cheguei a conclusão que muitos caras resolveram registrar por escrito, sob algum nome, algo que já estava sendo feito, mesmo porque, para muita gente design é só fazer a “pelinha” que vai por cima.

Mas fazendo a revisão de referencias, passeando por sites, lendo TCCs, teses e dissertações, começo achar um grande injustiçado.

Bruce Tognazzini

Bruce Tognazzini (link pra wiki gringa), junto com Don Norman e Nielsen são a tríade do Norman Group. Mas encontrar um artigo sobre o que o cara escreveu ou fez em PT-BR é dificil. Desproporcional em relação ao que já foi escrito baseado no que os outros dois já fizeram.

Seus princípios de interação (link externo em inglês), lançados em 2003 (e atualizados em 2014), eram muito mais adequados ao desenho de interfaces que as heuristicas de Nielsen.

Usei os principios no comparativo com as heuristicas de Nielsen e os critérios de Bastien e Scapin da minha dissertação em 2004. Ainda vejo esses dois sendo citados mais que o Bruce quando falamos de UX, UI, UCD ou HCD aqui no Brasil.

Bruce Tognazzini, ou Tog, não é um cara qualquer. Tog fundou o Grupo de Interface Humana da Apple e trabalhou 14 anos na companhia (junto com Don Norman), além disso trabalhou na Sun e prestou consultoria para várias companhias. Publicou dois livros, Tog on Interface e Tog on Software Design, ambos da Editora Addison Wesley.

Foto onde aparecem Bruce, Norman e Nielsen

Tog é um cara legal, mais charmoso que o Nielsen (mas não tão fofo quanto o Norman), citado em diversos livros gringos, mas parece ser totalmente ignorado aqui.

Segue um bate papo dele com Don Norman sobre o desenho de uma tigela de cereal.

Starfire

Em 1992 Tog juntou formou equipe na Sun Microsystems para predizer e conduzir o que seria o futuro da computação. Foram mais de 100 pessoas entre engenheiros, designer, futuristas e cineastas. O filme acertou em diversas previsões.

O filme por ser visto no site do Bruce: AskTog.