Sobre livros 1

Pilha de livros da editora Gustavo Gili - especializada em desenho

Sempre gostei de ler, tanto quanto desenhar. Quando pequena planejava e economizava a mesada para comprar livros – muitos eu tenho até hoje e são herança para a Sofia e Alice.

Quando entrei no curso de desenho industrial, em 1993, me deparei com uma falta absoluta de bibliografia. O que eu via era apenas catálogos, internacionais, com muitas fotos e pouco texto. Ao questionar um professor ele me falou da falta de bibliografia da sua área (sinalização) – “simplesmente não existe”.

Como assim? Era difícil de acreditar. Vasculhei a biblioteca setorial a geral da UFSM e poucas coisas apareciam. Mas não era possível. Em pouco tempo eu tinha todos os livros “existentes” na área, mais alguns catálogos, comprados na CESMA. Eu não me conformava, mas não sabia para onde ir.

Apenas quando o Vidal começou a dar aulas para nossa turma é que vi uma luzinha no fim do tunel. “Comprem livros! Pelo menos dois por mês” – dizia. Mas…como? Onde?

Ele levava muitos livros para aula. Muitos de uma mesma editora: a Gustavo Gili. Um deles tinha um cartãozinho para pedido de catálogo. Pedi o cartão, preenchi e enviei pelo correio. Cruzei os dedos.

Lembrem-se. Estávamos em 95, a Web era lenta, para poucos e não existia comércio eletrônico.

O catálogo chegou aproximadamente dois meses depois. Era o mapa do tesouro.
Escolhi os livros. Muitos, quase chorei por não ter como pedir porque não tinha dinheiro suficiente. Marcava asteriscos do lado prevendo uma compra futura.

O pagamento era por vale-postal. Eu enviava o pedido para a editora e eles me enviavam o valor total (com o frete). Eu pagava com um vale postal que era enviado para a editora, que enviava os livros. Era tudo por carta e demorava quase dois meses. Como o envio era por correo-al-saco, via marítima, até os livros chegarem as minhas mãos podia demorar quase seis meses.

Logo que o primeiro pedido chegou, devorei como um refugiado faminto o primeiro livro escolhido: Sistemas de Retículas, Josef Müller Brockmann (1976).

Apesar da demora, dos custos, ainda fiz mais uns quatro pedidos por esse sistema. Alguns amigos passaram a pedir comigo dividindo os custos de frete.

Hoje a web cresceu, surgiu a Amazon, e a própria Gustavo Gili criou um sítio e outras editoras passaram a publicar no Brasil. Eu me formei e fiz um cartão de crédito internacional…mas isso é outra história.