Playmobil

Clodovil

Durante a dura passagem da aborrecência eu dei vários dos meus brinquedos. Muitos “contrabandeados” para fora de casa (pois minha mãe queria guardar todos). Só um tipo de brinquedo eu não abri mão: meus playmobils. Após sofrerem um pouco nas mãos de meus primos menores (que carregaram armas, cavalos e o que mais pudessem esconder nos bolsos), eles ficaram guardados em caixas durante anos e hoje, aos poucos, eu vou passando adiante para minhas filhas. O primeiro set grande grande que me lembro, foi a casinha azul que ganhei no Natal, eu tinha 4 anos e até hoje tenho a casa (em bom estado, mas sem alguns itens). Eu realmente brincava com meus playmobis e me lembro da vez que levei TODOS que eu tinha para a casa de um amigo para fazermos uma grande cidade. Um dia antes etiquetei com um “F” todos os itens.

Mas enfim, apesar de ser um tanto ciumenta e um pouco de afã de colecionar, acho que brinquedo é coisa de criança e que serve para ser brincado.
Eu gosto de ver minhas filhas brincando de playmobil com os conjuntos que damos a elas. Elas recriam, remontam, misturam e inventam histórias. É um brinquedo que elas podem brincar com seus amigos e amigas. Elas passam horas montando e brincando.

E aos poucos vou liberando os que ainda tenho guardados. Ano passado começaram a aparecer uns em embalagens surpresa, bem baratos (cerca de R$ 10,00) e o que foi mais legal para mim nnao foi os bonequinhos em si, mas o fato de que eles vem desmontados no pacote. Pela primeira vez, sem engenharia reversa, pude ver quão intrincada era a construção do bonequinho.

blue print do playmobil

Bom, como fã e colec…desenhadora, comecei a me interessar um tanto tarde sobre a história do playmobil.

Ele foi criado por Hans Beck, para a empresa alemã Geobra. A Geobra fabricava brinquedos de plástico, mas nos anos 70 amargava com a escassez da sua principal matéria prima – o petróleo.
Então a estratégia mudou de grandes brinquedos para brinquedos pequenos que usassem menos materia prima. A companhia brifou com Hans o desenvolvimento de uma série nova de brinquedos.

O conceito de Hans era de um brinquedo que coubesse na mão de uma criança. Ele se inspirou em desenhos de crianças de 4 e 5 anos para encontrar um estilo. A série de brinquedos era formada por personagens customizáveis, com peças intercambiáveis que ofereciam possibilidades ilimitadas de combinações e expansões.

Hans Beck segurando um playmobil

“O Playmobil é um brinquedo que não impõe uma forma de brincar a criança, mas a estimula sua imaginação”

Em 1974 o brinquedo foi lançado nas feiras, começando a ser comercializado mundialmente em 1975. No Brasil ele foi licenciado incialmente pela Trol, que decretou falência em 1993.
Pra saber mais, tem alguns aficcionados no Brasil, alguns milhares de artigos na rede, site oficial e esse vídeo muito legal da série O DNA das coisas:

Links legais e recomendados: